Data

1 a 4 de Novembro 2017

Local

Lisboa - Portugal

Palestrantes

Em Breve

SOBRE O EVENTO / Informações importantes

I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura (CLBHort 2017), que decorrerá em Lisboa, de 1 a 4 de Novembro de 2017, é uma organização da Associação Portuguesa de Horticultura (APH) em parceria com a Associação Brasileira de Horticultura, Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa (ISA – Lisboa), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo e outras instituições relevantes  Portuguesas e Brasileiras. O CLBHort 2017 tem apoio de empresas públicas e privadas ligadas a ambos países.

O CLBHort 2017 tem como tema a “Inovação ao Serviço dos Negócios” e será um fórum aberto a investigadores, técnicos e empresários dos diferentes ramos da Horticultura (entendida em sentido lato), a trabalhar em Portugal, no Brasil e em todos os outros países de língua oficial portuguesa (CPLP).

O Congresso aposta na ligação entre a pesquisa e a inovação, que é o motor do desenvolvimento na Nova Horticultura, criadora de valor, baseada no conhecimento e na sustentabilidade, em que a competitividade depende cada vez mais da capacidade de inovação. Para isso contamos com o envolvimento de investigadores e parceiros empresariais envolvidos na organização deste evento, com o objetivo de criar uma plataforma de translação do conhecimento voltada para os seus utilizadores e para a fileira em geral.

Espera-se que o CLBHort 2017 seja o início de um ciclo de encontros dedicados à cooperação técnico-científica entre empresários e cientistas de língua portuguesa, utilizando as novas tecnologias de informação, com o objetivo de melhorar o desempenho da indústria hortícola dos nossos países e aumentar a sua competitividade a nível internacional.

O Congresso abrange todas as áreas da Horticultura, estando previstas sessões sobre cada uma das áreas, nomeadamente a fruticultura e negócio da fruta, viticultura e negócio do vinho, olivicultura e negócio do azeite, horticultura herbácea e hortaliças e horticultura ornamental e outras áreas (ver programação).

Teremos visitas técnicas a empresas comerciais Portuguesas lideres nas diversa área hortícolas em Portugal que utilizam processos de produção de ponta (“State of the art”). É uma oportunidade muito relevante para encontros de negócios entre lideres (“Key players”) Portugueses e Brasileiros nas diversas fileiras hortícolas, para aprofundarem os seus conhecimentos e as relações comerciais para em parceria complementar enfrentar o mercado Globalizado . Teremos oportunidade de assistir a comunicações, mesas redondas e encontros comerciais de elevada qualidade e lideres nas diversa áreas dos dois lados do oceano Atlântico.

Carta de Boas-Vindas

Lisboa / e seus encantos

Alt

Alt image

Iniciativa / de onde surgiu?

A Associação Portuguesa de Horticultura (APH) em parceria com a Associação Brasileira de Horticultura, Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa (ISA – Lisboa), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo e outras instituições Portuguesas e Brasileiras (apoio de empresas públicas e privadas ligadas ao de ambos países), estão a organizar o   I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura (CLBHort 2017) que decorrerá em Lisboa, de 1 a 4 de Novembro de 2017.

Datas Importantes / atividades

Atividade

Datas

Inscrições

A partir de  1 Agosto de 2016

Data limite de entrega de resumos

Até 31 de Julho de 2017

Data limite de aceitação de resumos

Até 15 de Agosto de 2017

Data limite de entrega de artigos completos e posters

Até 31 de Agosto de 2017

Programa final

Até 30 de Setembro de 2017

Comissões / Organizadora & Científica

Organizadora (Técnico cientifica +hortonegócio):

Comissão científica:

António Calado, Presidente – (APH) – Portugal.*

Paulo César Tavares de Melo, Presidente – ( ESALQ-USP)  – Brasil.

António Monteiro, (ISA-ULisboa ) – Portugal.*

Domingos Almeida  , (ISA-ULisboa e APH )– Portugal.

Domingos Almeida, (ISA-ULisboa e APH) – Portugal.*

Isabel Mourão , (CIMO-ESA-IPVC) – Portugal.

Ana Cristina Ramos, (INIAV e APH) – Portugal.*

Pedro Brás de Oliveira,  (INIAV)- Portugal.

Nélia Silva, ( APH) -Portugal.*

Mario Reis , (UALG)- Portugal.

Paulo César Tavares de Melo, ( ESALQ-USP )- Brasil.*

Ana Paula Silva , (UTAD)- Portugal.

Nehemias Ramos, (Win eventos ) – Brasil.*

Carlos Lopes , (ISA-ULisboa) – Portugal.

Luisa Teixeira , (Mundiconvenius ) – Portugal.*

José Gouveia , (ISA-ULisboa) – Portugal.

Rui Maia de Sousa, ( INIAV e APH )- Portugal.*

Ricardo Elesbão Alves, (Embrapa Agroindústria Tropical) – Brasil

José Alberto Pereira , (ESA-IPB)  -Portugal.*

Vivian Loges,  (UFRPE) – Brasil

José Pereira , (DRAPN-MAMAOT e APH) – Portugal .*

Simone da Costa Mello, ( ESALQ-USP)- Brasil.

Joaquim Miguel Costa , ( ITQB e APH) – Portugal .*

Ângelo Pedro Jacomino, (ESALQ-USP) – Brasil

Miguel Brito, (CIMO-ESA-IPVC) – Portugal.*

Sebastião Wilson Tivelli, (APTA)- Brasil

E outros membros a incluir do hortonegócio.

Arie Fitzgerald Blank, (Universidade Federal de Sergipe)- Brasil

* Comissão Executiva

Sérgio Ruffo Roberto, (Universidade  Estadual Londrina – UEL)-  Brasil

Paulo Eduardo Melo, (Embrapa, Brasília) – Brasil

Fabrício Rossi, (USP) – Brasil

Programação do Congresso

Programa Geral

O Congresso apresenta um programa diversificado, desenhado para promover a interação entre os participantes, criando fóruns de discussão sobre os temas mais relevantes. Compreende as seguintes atividades:

Conferências plenárias sobre temas de grande relevância, proferidas por especialistas reconhecidos internacionalmente;

Mesas redondas, centradas nas fileiras hortícolas mais importantes, com a participação de empresários e especialistas;

Comunicações orais, de base científica, selecionadas a partir dos resumos enviados pelos participantes;

E-posters (posters eletrónicos), a partir dos resumos enviados pelos participantes, alguns dos quais serão selecionados para uma breve apresentação oral.

Visitas técnicas a empresas na proximidade de Lisboa

Cursos/workshops sobre temas específicos.

Programa de Workshops


Manhã

Workshop 1 – Curso de Iniciação à Prova de Azeites de Oliva Virgens

Data: 1 de novembro de 2017. Local: ISCTE, Lisboa; Duração prevista : 2,5 horas.
Número mínimo e máximo de participantes respectivamente:  15 e  25.

Prof. Dr. Jose A. Pereira e Engº Nuno Rodrigues (ESA-do Instituto Politécnico de Bragança).

Resumo do Programa:

  1. O que é o azeite de oliva e como se classifica;
  2. Procedimento de prova de azeites virgens.
  3. Sensações aromáticas olfativas, diretas e retronasais, de atributos positivos e negativos (defeitos) dos azeites virgens.
  4. Identificação e distinção dos principais atributos positivos e negativos dos azeites virgens.
  5. Classificação dos azeites de acordo com a nota de prova.
  6. Prova de azeites virgem com diferentes classificações, regiões e marcas.

 

Workshop 2 – Sistemas de controlo inteligente do clima da estufa:

Data: 1 de novembro de 2017. Local: ISCTE, Lisboa; Duração: 3 horas.
Número mínimo e máximo de participantes respectivamente: 15 e  25 .

Prof. Catedrático A. Monteiro (ISA-Ulisboa) e Engº Gonçalo Cabrita (Coolfarm, Coimbra).

Monitores: António Monteiro (ISA, Univ. de Lisboa); Gonçalo Cabrita (CoolFarm)

Resumo do Programa:

Sistemas de construção de estufas, novos materiais de cobertura e princípios do condicionamento ambiental, em ligação com os novos sistemas inteligentes de automatização do microclima. Criação de competências para a escolha do tipo de estufa mais adequado e para a utilização de um sistema de controlo que otimize o microclima da estufa em função das necessidades das culturas.

Temas a abordar:

  1. Propriedades dos filmes plásticos da última geração e evolução recente dos sistemas de construção e das características das estufas;
  2. Principais elementos do clima da estufa e sua influência nas culturas;
  3. Descrição dos principais tipos de sensores e equipamentos de monitorização do clima e das culturas;
  4. A inteligência artificial aplicada à agricultura;
  5. Funcionamento de um sistema inteligente, integrado e instalado na “cloud” para regulação da rega e do condicionamento ambiental da estufa.

Tarde

Workshop 3 – Título “Prova de vinhos: descrever atributos ou reconhecer emoções?”.

Data: 1 de novembro de 2017. Local: ISCTE, Lisboa; Duração:  2 horas.
O número mínimo e máximo de participantes respectivamente: 15 e 30.

Virgílio Monteiro

Virgílio Monteiro

Prof. Virgilio Loureiro (Vinovisa).

Resumo do Programa:

  1. É inovador e baseia-se numa abordagem emocional da prova de vinhos.
  2. Habilita os participantes a identificarem e compreenderem todos os estilos de vinho em duas horas.
  3. Permite entender os vinhos e os locais em que são produzidos.
  4. Respeita o vinho, pois não atribui classificações.

Workshop 4 – “Prova Sensorial de Maçãs e peras portuguesas”.

Data: 1 de novembro de 2017. Local: ISCTE, Lisboa : Duração: 1,5 Horas.
O número mínimo e máximo de participantes  respectivamente : 15 e 25.

Engº Rui Sousa e Dra. Claudia Sánchez – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária – INIAV, I.P./Estação de Fruticultura Vieira Natividade.

Resumo do Programa:

A forma, cor, sabor e aroma das peras e maçãs tradicionais portuguesas é único no mundo, pelo que se pretende apresentar as características agronómicas de quatro variedades regionais de peras e quatro de maçãs e a forma de as produzir, assim como as características qualitativas das mesmas e o seu poder de conservação. Os participantes poderão determinar alguns parâmetros indicadores de qualidade e terão ainda oportunidade de visualizar e saborear os diferentes frutos e identificar os distintos aromas que serão inesquecíveis.

Visitas Técnicas POST – CONGRESSO

Visitas técnicas na região do Ribatejo e Oeste e na região do Alentejo no dia 4 de Novembro de 2017 .
Duração: Visitas de um dia a empresas líder localizadas na proximidade de Lisboa.
Programa provisório: Saída de Lisboa em autocarro com guia, visita a empresas durante a manhã, almoço de convívio, visita turística durante a tarde, regresso a Lisboa.

Temas confirmados:

V1- Visita à Fundação Eugénio de Almeida – vinhas , olivais e provas de vinho e de azeites. Prova de produtos. Almoço . Visita a Évora , cidade Museu e Património Mundial da UNESCO. Regresso a Lisboa.

Cartuxa2

 

 

 

 

V2- Vista à Horticultura da Região Oeste – Empresa Campotec, central fruteira, processamento mínimo de produtos de 4ª gama e cultura do tomate em Estufa . Almoço . Visita à vila histórica de Óbidos. Regresso a Lisboa.

Temas sugeridos (a confirmar):

1. Horticultura em estufa.

2. Produção de Brássicas de ar livre.

3. Conservação e preparação de fruta.

4. Adega e prova de vinhos.

Haverá uma visita dedicada a cada tema. Só se realizarão as visitas com o mínimo de 20 participantes.

Esboço de Programa / Provisório

  1 NOV. 2017 2 NOV. 2017 3 NOV. 2017 4  NOV. 2017
MANHÃ
Conferencia plenária 1
Cursos/ “Workshops” Conferencia Plenária 3

MR1

MR2

MR5

Visitas técnicas

MR6

Comunicações científicas
Comunicações científicas
Sessão de E-posters
Sessão de E-posters
TARDE Conferencia plenária 2 Conferencia plenária 4
Cursos/ “Workshops”

MR3

MR7

Acolhimento

MR4

Colocação de painéis

MR8

Visitas técnicas
Comunicações científicas
Sessão de Abertura
Sessão de E-posters
NOITE Cocktail de receção Jantar do congresso
Revista APH especial programação CLBHort 2017

Áreas temáticas e sessões plenárias

O CLBHort 2017 será formatado de modo a abranger áreas temáticas de três domínios principais:

  • Ciências e tecnologias hortícolas na lusofonia (C&T);
  • Negócios hortícolas no espaço luso-brasileiro
  • Produção e consumo;
  • Outros temas a definir.

Haverá sessões sobre cada uma das áreas da horticultura, nomeadamente na fruticultura e negócio da fruta, viticultura e negócio do vinho, olivicultura e negócio do azeite, horticultura herbácea e hortaliças e horticultura ornamental e outras áreas (ver programação).

2 nov. 2017

Conferência plenária 1 – Horticultura de precisão: Aplicações da deteção remota, robótica e a inteligência artificial na horticultura:

Filipe Santos

Doutor Filipe Santos (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência – INESC TEC)

Resumo

Nesta palestra será abordado  o tema da  aplicação da robótica e sistemas inteligentes ao contexto da horticultura portuguesa, desafios e oportunidades. Serão apresentados vários casos de sucesso com utilização destas tecnologias robóticas e sistemas inteligentes, tocando em casos práticos de utilização e nos benefícios atingidos para o agricultor e sociedade. Neste âmbito, também será apresentado o roadmap do INESCTEC, para o sector agro-food com especial atenção para os projectos ROMOVI, Water4Ever , e Agrisensus.

Conferência plenária 2 – Os novos desafios da qualidade pós-colheita:

Domingos de AlmeidaProf. Dr. Domingos de Almeida (Instituto Superior de Agronomia – ISA da Universidade de Lisboa- Ulisboa; Presidente da APH – Associação Portugesa de Horticultura).

Resumo

Missão da ciência e da tecnologia pós-colheita para fazer face aos atuais desafios das cadeias de abastecimento de fruta, hortaliças, plantas ornamentais e outros produtos da horticultura.

  • Condicionantes fundamentais: cadeias de valor globais, economia dirigida pela procura (demanda), ajustamentos nos padrões alimentares, impacto da nova geração de enabling technologies no modelo de negócio.
  • Qualidade e produtividade; pré-colheita e pós-colheita. Os modelos conceptuais para a fileira.
  • Incorporação de novos paradigmas científicos na biologia (genética, nas modificações pós-transcrição, nas–ómicas) e nos novos materiais.
  • As possibilidades das últimas novas tecnologias – monitorização e controlo.
  • Resposta da pós-colheita aos desafios das novas formas de logística e de gestão da cadeia de abastecimento.
  • O «último quilómetro» da pós-colheita, a qualidade desfrutada e as perdas e desperdícios alimentares.
  • Os 10 princípios da pós-colheita revisitados.

3 Nov. 2017

Conferência plenária 3 – Panorama da Fruticultura Brasileira : atualidades e perspectivas

Dr Abel Rebouças

Dr. Abel Rebouças São José (Eng. Agrônomo, Doutor e Professor da Titular Pleno da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia) e ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF).

Resumo

O Brasil possui a terceira maior fruticultura do mundo. São mais de 43 milhões de toneladas de frutas produzidas anualmente. Em função das mais variadas condições edafoclimáticas, praticamente todas as regiões brasileiras produzem frutas. A região Sul do país produz principalmente frutas de climas temperado, como uvas, maçãs, pêssego, ameixas, nectarinas, dentre outras. Na região Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro Minas Gerais e Espírito Santo) observa-se uma predominância de produção de frutíferas de clima subtropical e tropical, principalmente, citros, banana, mamão, abacate etc. Nas regiões Nordeste e Centro-Oeste ocorrem a predominância de frutíferas tropicais como: manga, maracujá, banana, mamão, coco, abacaxi, caju, anonáceas etc. No Norte do país, ocorre principalmente as tropicais como: banana, açaí, pupunha, coco, além de uma infinidade de frutas nativas. Diversas fruteiras de clima temperado têm sido estudadas e adaptadas às condições climáticas do região semiárida, como vem ocorrendo com sucesso com a videira, pera e macieira.  Do total da produção apenas cerca de 2% é exportado como fruta fresca, tendo a Europa o principal destino. A laranja é a principal fruta processada, sendo o Brasil o maior produtor e maior exportador mundial de suco concentrado. A tendência é o contínuo crescimento da produção frutícola nacional considerando o crescente consumo interno assim como o incremento das exportações.

Conferência plenária 4 – Visão geral sobre processamento em Horticultura (Caso estudo tomate de indústria) – Situação atual e perspetivas futuras em Portugal, Brasil e outros países Lusófonos no Mundo Globalizado:

Martin Stilwell

Engº Martin Stilwell – (CEO do Grupo HIT SGPS Director da Associação Portuguesa de Tomate de Industria-AIT, Director da AMITOM e “Past President of the WPTC-World Processing Tomato Council)

Resumo

2017 – O mercado Global de Tomate processado, uma perspectiva Portuguesa / Brasileira.

Nos últimos 25 anos o mercado tem flutuado de um forma previsível em ciclos de 5 anos, com um constante crescimento de consumo. Desde 2009,  tudo se alterou, as estatísticas parecem indicar que o crescimento de consumo esta a estagnar. Em consequência os investimentos em aumentos de capacidade tem resultado num excesso de oferta e consequente queda de preço, colocando em crise muitos produtores. Algumas áreas de produção tem cortado a produção, e Califórnia é um exemplo reduzindo em 26% a produção nos últimos dois anos. A inovação e introdução de novos produtos e ideias para promover o consumo de Tomate e seus derivados estão a criar novos mercados e um forte crescimento em novos mercados como o Japão, e podem ser um exemplo a seguir.


ÁREAS TEMÁTICAS DAS MESAS REDONDAS

Esboço do Programa de Mesas Redondas (*)

MR1: Fileira (Cadeia) do azeite – Produção e comercialização do azeite no contexto global.

J A PereiraModerador: Prof. Dr. J. A. Pereira (E.S.A. do Instituto Politécnico de Bragança).

Participante 1:  Catarina Bairrão (Conselho Oleícola Internacional).

Partipante 2:  Eng. Mariana Matos (Casa do Azeite).

 Participante 3: Eng. Francisco Pavão (Trás-os-Montes Prime).

Participante 4: Ricardo Furtado (Ministério de Agricultura do Brasil).

 

MR2: Fileira (Cadeia) das frutas e hortaliças – Entraves e perspetivas das importações e exportações.

Gonçalo AndradeModerador: Engº Gonçalo Andrade (Portugal Fresh).

Participante 1: Luiz Roberto M. Barcelos (ABRAFRUTAS; Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Fruticultura do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento).

Participante 2: Jorge Soares (Campotec).

Participante 3: Carlos Ferreira (Hortomelão).

Participante 4: Comendador António Silvestre Ferreira / J. Praxedes  (Vale da Rosa).

 

MR3: Fileira da vinha e do vinho – Oportunidades para os vinhos portugueses e brasileiros considerando as tendências do mercado global.

VirgílioModerador: Prof. Dr. Virgilio Loureiro (Vinositas).

O vinho é uma imagem de marca da agricultura e cultura portuguesas e uma realidade cada vez mais valiosa da agricultura brasileira. Portugueses e brasileiros têm, por conseguinte, boas razões para discutirem e trocarem experiências sobre temas da fileira do vinho. A consagração do vinho como bebida universal abre perspetivas imensas, não só em termos de consumo mas também de produção, fazendo antever um futuro promissor a parcerias entre portugueses e brasileiros. A mesa redonda 3 terá como grande objetivo sistematizar o potencial dessas parcerias.

Participante 1:  Dr. João Roquette (CEO do Esporão ).

Participante 2: Casimiro Gomes (Lusovini).

Participante 3: Eng. Osvaldo Amado (Global Wines ).

Participante 4: Sergio Ruffo Roberto (Universidade Estadual de Londrina, na Área de Fruticultura de Clima Temperado, atuando, sobretudo na área de Viticultura e Enologia).

 

MR4: Material de propagação/propagativo de espécies hortícolas – avanços e desafios futuros.

Jorge CanhotoModerador: Prof. Dr. Jorge Canhoto (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra).

Os materiais propagativos são cruciais para a obtenção de produtos de qualidade que possam ser competitivos num mercado global. Nesta mesa redonda contamos com quatro especialistas percententes a empresas e a instituições que estão directamente relacionadas com a produção ou com o controlo da qualidade destes materiais. Durante o debate serão analisados os principais factores que condicionam a produção e a qualidade dos materiais propagativos, os desafios que os produtores enfrentam, a legislação existente em Portugal, no Brasil e na Europa, bem como o que se perspectiva neste mercado a médio-longo prazo.

Participante 1: Warley Marcos  Nascimento (EMBRAPA).

Participante 2: Clayton Debiasi (Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior – CBPBI) do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Portugal).

Participante 3: Paula Carvalho (DGAV – Direcção Geral de Agricultura e Veterinária) .

Participante 4: Orador a designar (Nunhems/Bayer ).

 

MR5: O futuro do mercado de frutas e hortaliças.

Maria do Carmo MartinsModerador: Engª Maria do Carmo Martins (COTHN – Centro Operativo e Técnológico Hortofrutícola Nacional).

As novas tendências para o mercado de frutas e hortaliças baseiam-se numa imagem de transparência: alimentos saudáveis, certificados com elevada rastreabilidade e garantia de qualidade e ainda com um elevado nível de conveniência. O futuro passará por uma troca crescente de informações ao longo da cadeia produtiva, aproximando produtores e consumidores e, ao mesmo tempo promover a inovação quer ao nível do produto, da marca e da embalagem. Que garantias de qualidade são mais valorizadas pelo consumidor? Que inovações devem ser consideradas ao nível da embalagem e logística? Como minimizar os desperdícios ao nível da cadeia de comercialização? Comércio electrónico: que desafios?

Participante 1: Claudia Domingues (Agrocluster).

Participante 2: A confirmar.

Participante 3: A confirmar.

Participante 4: A confirmar.

 

MR6: Novos caminhos na promoção do consumo de fruta e hortaliças.

Paulo Cesar de MelloModerador: Prof. Dr. Paulo Cesar de Mello (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da Universidade de São Paulo).

A fruta e hortaliças são alimentos com muito boa imagem junto do consumidor, entre outras razões, pelos benefícios para a saúde que traz os seu consumo regular. Quais as razões para que esta imagem passe facilmente para o público mas que não se reflita num aumento do consumo? Há que encontrar novos caminhos para estimular o consumo e fazer com que a boa imagem da fruta e hortaliças se traduza no correspondente aumento do volume de negócios.

Participante 1: Ricardo Estevão  Alves.

Participante 2: Dr. Miguel Barbosa (Luis Vicente).

Participante 3:  Luis Baena (Chef de Cozinha) .

Participante 4: Gonçalo Andrade (Portugal Fresh).

 

MR7: Desafios e oportunidades para a fileira (cadeia) das plantas ornamentais e do paisagismo.

José MonteiroModerador: Prof. Dr. José Monteiro (Universidade do Algarve – Ualg).

Os serviços ecossistémicos proporcionados pelas plantas, parques e/ou jardins cada vez são mais reconhecidos, criando novos desafios e oportunidades.  Vamos ouvir o que as Sementes de Portugal, a Associação de Plantas e Jardins em Climas Mediterrâneos (muito ligada ao turismo de jardinagem) e profissionais da Engenharia Natural e Coberturas Ajardinadas, acham destes desafios.

Participante 1: Jaime Motos (Floragen ; CICA-Universidade da Corunha).

Participante 2: João Gomes (Sementes de Portugal).

Participante 3: Rosie Peddle o/ Jean-Paul Brigand (Associação de Plantas e Jardins em Climas Mediterraneos).

Participante 4: Paulo Palha (Neoturf ).

Participante 5: Aldo Freitas (EcoSalix).

 

MR8: O potencial das tecnologias de informação e da eletrónica na inovação da fileira hortícola.

Ricardo BragaModerador: Prof. Dr. Ricardo Braga (ISA- ULisboa).

Os desafios de eficiência no uso de factores de produção que se colocam à produção são crescentes. Tradicionalmente o gestor agrícola é obrigado a tomar decisões em contexto de baixa informação disponível. As tecnologias de informação e comunicação e a electrónica vêm alterar radicalmente este cenário. Como é o que o potencial se concretiza na prática? Que impacto é que a robótica e a inteligência artificial cada vez mais aplicadas, os sensores cada vez robustos e diversos, a detecção remota com cada vez mais fácil acesso, terão na gestão operacional e estratégica das explorações agrícolas?

Participante 1: Cesar Toscano (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência – INESC TEC).

Participante 2: António Graça (SOGRAPE).

Participante 3: João Santos Victor (ISR do IST, “Institute for Systems and Robotics”)

Participante 4: Rui Flores (ESPORÃO).

(*) Área do programa com maior foco nos aspetos empresariais do Hortonegócio.

Palestrantes / confirmados

António Monteiro

Prof. Catedrático António A Monteiro (ISA-Ulisboa)
Orador do Workshop 2 – Sistemas de controlo inteligente do clima da estufa:

Professor catedrático do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa. Especialista em horticultura. Foi Presidente da ISHS – International Society for Horticultural Scienc (2010-14), Vice-reitor da Universidade Técnica de Lisboa (2011-13) e Presidente da Associação Portuguesa de Horticultura (1988-1992). Recebeu a Veitch Memorial Medal da Royal Horticultural Society, Londres (2014) e é “Honorary Member” da ISHS – International Society for Horticultural Science (2002), e Horticólogo de Honra (1994) e Sócio Honorário da Associação Portuguesa de Horticultura (1996)

Virgílio Monteiro

Prof. Virgilio Loureiro (Vinovisa)
Orador do Workshop 3 – Título “Prova de vinhos: descrever atributos ou reconhecer emoções?”.

Foi Regente Agrícola, Eng.º Agrónomo e Eng.º Biológico, mas queria ser médico. Doutorou-se em Microbiologia, orientado por médicos, e dedicou-se ao tema durante 42 anos, investigando e partilhando o que sabia com os seus alunos, no Instituto Superior de Agronomia. Dedica-se à paixão que tem desde jovem: o vinho. Estuda-o em várias vertentes – da História à Geografia, do solo ao clima, da paisagem ao terroir, da videira à vinha, do vinho à garrafa, da prova ao prazer – reconhecendo-o como símbolo maior da civilização mediterrânica.

Warley Marcos Nascimento

Dr. Warley Marcos Nascimento
Orador da MR4: Material propagativo de espécies hortícolas – avanços e desafios futuros.

Chefe Geral da Embrapa Hortaliças. Doutorado em Horticultural Sciences (Seed Physiology) e Pós-doutorado pela Universidade da Flórida

Sergio Ruffo Roberto1

Prof. Dr. Sergio Ruffo Roberto
Orador da MR3: Fileira da vinha e do vinho – Oportunidades para os vinhos portugueses e brasileiros considerando as tendências do mercado global.

Pós-doutorado pelo U.S. Horticultural Research Laboratory – Agricultural Research Service, USDA, Estados Unidos e Doutor em Produção Vegetal pela Universidade Estadual Paulista, Brasil.

Dr Abel Rebouças

Prof. Dr. Abel Rebouças São José
Conferencista Plenária 03: Panorama da fruticultura brasileira: atualidades e perspectivas.

Doutorado em Agronomia pela UNESP, e Pós-doutorado em pós-colheita de frutas tropicais e controle biológico de pragas, pelo Colegio de Postgraduados, Campus Montecillo, Texcoco, México.

Luiz Roberto Maldonado Barcelos

Presidente da ABRAFRUTAS, Sócio fundador e Diretor da Agrícola Famosa, Presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Fruticultura do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Presidente do COEX – Comitê Executivo de Monitoramento da Mosca das Frutas.

Clayton Debiasi

Dr. Clayton Debiasi
Orador da MR4: Material propagativo de espécies hortícolas: avanços e desafios futuros.

Doutorado em Agronomia (Área de Horticultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Brasil, é pesquisador especialista em micropropagação de plantas do Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior (CBPBI), do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Portugal.

Inscrição & Resumos

Preços de Inscrição (Euros)

Tipo de Inscrição

Até 30 de Junho 2017

Apos  30 de Junho 2017

Sócios APH, ABH, SBF e SBFPO *

250

310

Não sócios *

300

370

Estudantes **

Desconto 50%  do valor de sócio/não sócio

Desconto 50%  do valor de sócio/não sócio

Inscrição de Grupos ***

Notas:

Estudantes:  Desconto de 50% da respectiva categoria.

Inscrições de grupos – (se fizer 4 ganha a 5a, considerando-se inscritos da mesma empresa ou instituição)

(*)  Inclui – Documentação, almoços, “ Coffee Breaks “, Coktail.

(**) Estudantes:  Inclui documentação e “Coffee Breaks “.

(***) Inscrições de grupos de 4 da mesma empresa ou instituição dá direito a uma inscrição extra (não paga)  . Inclui – Documentação  , almoços, “ Coffee Breaks “, Coktail.

As visitas técnicas, e os “workshops” e jantar de gala têm inscrições separadas.


APRESENTAÇÕES ORAIS E POSTERS ELECTRÓNICOS

(Programa a definir após submissão dos resumos e e-posters)

Comunicações orais, de base científica, selecionadas a partir dos resumos enviados pelos participantes e incluidos em diversas áreas técnicocientificas. E-posters eletrónicos, a partir dos resumos enviados pelos participantes, alguns dos quais serão selecionados para uma breve apresentação oral.

Os resumos, artigos e e-posters (serão icluidos em diversas areas técnicocientificas) e devem ser submetidos no campo apropriado do website e seguindo as normas também definidas do Congresso. Cada trabalho deverá, obrigatoriamente, ter a sua área temática, nos diferentes ramos da Horticultura, selecionada no formulário eletrônico, conforme abaixo:

Áreas temáticas

  1. Técnicas de produção incluindo rega (irrigação) e fertilização;
  2. Mecanização e automação;
  3. Propagação de plantas e caracterização de material;
  4. Proteção fitossanitária;
  5. Cultivos protegido e hidropónico;
  6. Horticultura urbana e periurbana;
  7. Horticultura biológica (orgânica);
  8. Seleção, embalagem, conservação e distribuição , logística de transporte, distribuição, comercialização e consumo de produtos hortícolas;
  9. Tecnologias pós-colheita;
  10. Tecnologias de processamento e processamento mínimo;
  11. Compostos bioativos em hortaliças e frutas;
  12. Melhoramento e seleção de cultivares;
  13. Ecofisiologia das culturas;
  14. Outras áreas.

Grupo de culturas

a) Fruticultura temperada e tropical;
b) Hortaliças;
c) Horticultura ornamental;
d) Viticultura;
e) Olivicultura;
e) Pequenos frutos;
f) Plantas Medicinais e Aromáticas;
g) Novas culturas;
i) Outras.

Os artigos completos serão publicados nas ATAS da APH- Associação Portuguesa de Horticultura.

Passagens Aéreas / Convênio Promocional

4

O CLBHort 2017 e a STAR ALLIANCE assinaram um acordo que possibilita a compra de passagens com descontos para inscritos ao evento. A venda dos bilhetes com preços especiais é feita por meio de uma página especial que pode ser acessada no botão ‘ COTAÇÃO ‘ logo abaixo, aproveite mais esta novidade e viaje com mais economia.

Cotação

Através de Agência de Viagem, os códigos a utilizar serão:

Amadeus FQD QMXQMY/R, U/A(TP05S17)
Galileo FD QMXQMY/( TP05S17)
Sabre FQ QMXQMY- (TP05S17)
Sita FSD QMXQMY/( TP05S17)/(Currency Code)
Worldspan 4FQMXQMYSR-( TP05S17)
Product Code CONVPLUS

Perguntas frequentes

Pressupõe-se que essa iniciativa poderá desempenhar um papel chave / plataforma na criação de um ambiente de encontro atractivo para os países que compõem a comunidade dos países que falam o Português (CPLP).

Espera-se conseguir e atingir um papel chave através estabelecimento de diálogos participativos envolvendo a discussão sobre os mais recentes avanços e inovações nos âmbitos tecnológicos e científicos na horticultura mediante o intercâmbio de conhecimentos e de experiências.

A expectativa de que esse evento possa vir a ser uma plataforma a partir da qual haja o incentivo para o estabelecimento de uma efectiva cooperação tecnocientífica e empresarial entre os países da comunidade lusófona. Almeja-se, com isso, que seja viabilizada a criação de um ambiente de oportunidades para o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes nas áreas temáticas incluídas no Congresso.

Haverá sessões sobre cada uma das áreas da horticultura, nomeadamente na fruticultura e negócio da fruta, viticultura e negócio do vinho, olivicultura e negócio do azeite, horticultura herbácea e hortaliças e horticultura ornamental.

Patrocínios e estandes / em breve

Plano Comercial
Carta Patrocinadores

Informações sobre patrocínios e estandes entre em contato conosco.

Win Eventos +55 (62) 3241-3939 /+55 (62) 98145-2369
comercial.go1@wineventos.com.br

Blog Posts / notícias e novidades

I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura – CLBHort 2017

o I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura (CLBHort 2017) decorrerá em Lisboa, de 1 a 3 de Novembro de 2017. A Associação Portuguesa de Horticultura (APH) em parceria com a Associação Brasileira de Horticultura , Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa (ISA

Lisboa e seus encantos

Conheça um pouco sobre a linda cidade de Lisboa e seus encantos Lisboa é uma cidade especial com particularidades únicas: o som dos eléctricos antigos a subir e a descer as ruas empedradas, o eco do Fado em vários locais da cidade,

Valor Agrícola de Nova Geração

Valor Agrícola de Nova Geração A geração que frequenta atualmente o ensino superior agrário tem uma grande responsabilidade: criar valor através da incorporação de conhecimento em produtos e processos agrícolas, no seio de organizações inseridas em complexas cadeias de abastecimento. E, estou

Localização / da realização do Congresso

O Congresso terá lugar de 1 a 4 de Novembro de 2017, no Centro de Congressos do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), localizado na Av. das Forças Armadas, 1649-026 Lisboa (Zona de Entrecampos). O local tem  bons acessos e é servido pelo metro e comboio e tem diversos hotéis na proximidade a preços competitivos.

Localização do Evento

ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa

Av.ª das Forças Armadas, 1649-026 Lisboa

Contato local: (+351) 21 315 51 35

Contato brasil: (+055) 62 3241-3939

contato@clbhort2017.com

Visualizar no Mapa

Contato / fale conosco

Organização / do evento

icon13
2A
icon12
icon11
4A
3A
star
5A
7A
embrapa6
abcsem - banner apoio
BAYER LOGO PATROCINADOR
LOGO AGRONEGOCIOOS - PATROCINADOR
LOGO AGROTEC - PATROCINADOR